Servidores do GHC querem medidas de segurança imediata

Mais de uma centena de servidores do Grupo Hospitalar Conceição – GHC reunidos na manhã desta quarta-feira, 30 de março, no Auditório do Hospital Cristo Redentor – HCR, ouviram surpresos o Diretor Administrativo do GHC, Gilberto Barichello, em vez de apresentar um plano de gestão profissional de segurança no trabalho, anunciar que receberá uma comissão de representantes para ouvir sugestões dos servidores sobre o que fazer para melhorar a segurança no GHC.
Ora, “não somos nós, técnicos de enfermagem, médicos, higienizadores, pessoal de manutenção que temos a competência para definir um Plano de Segurança completo para o GHC. Isso é função da Gestão. O problema é que a gestão faliu”, desabafou Arlindo Ritter, Presidente do Sindisaúde-RS, depois de referir que os trabalhadores estão amedrontados com o agravamento das condições de segurança.
A reunião de emergência dos funcionários, convocada pela Associação dos Servidores do Grupo – ASERGHC, ocorreu depois da execução de um paciente, no início da tarde de ontem, nas dependências do HCR. Os funcionários aguardam há mais de um ano por medidas de segurança prometidas pela Direção do GHC. “Esperamos por soluções da Direção, mas não foi implantado sistema de controle de acesso, as câmaras de segurança não funcionam e falta pessoal”, lembrou o Presidente da ASERGHC, Valmor Guedes, que completou: “Não vamos aceitar que essa violência seja banalizada aqui”.
A reunião encaminhou uma lista com cinco medidas emergenciais reivindicadas pelos funcionários a partir da reunião e que foi entregue, na tarde de hoje, para a Superintendente do GHC, Sandra Fagundes. A nota aponta a necessidade urgente de:

(1) restrição ao número de visitantes e acompanhantes;
(2) solicitação da presença da Brigada Militar com uma viatura permanente em frente ao
Hospital Cristo Redentor;
(3) instalação de detectores de metal e Raio-x, aos moldes do existente no Fórum Central;
(4) eliminação do acesso do público ao banheiro da Emergência do HCR;
(5) aumento do efetivo de vigilantes através da contratação dos aprovados em concurso.

ASERGHC, Associação dos Médicos do Hospital Cristo Redentor (AMECRE), Sindisaúde-RS, Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS), Sindicato dos Enfermeiros do RS (SERGS) e Sindicato dos Técnicos em Segurança do Trabalho (SINDITEST) comunicaram, ainda, que a situação em pauta será encaminhada para acompanhamento do Ministério Público. E, finalmente, enfatizam a necessidade de que a Direção do GHC apresente um Plano de Segurança para todo o Grupo.

No widget added yet.